Dorama: Eu me rendi a um drama

Olá pessoas…

O post de hoje é quase uma confissão: eu me rendi aos doramas. Pois é! Mas vou contar como tudo aconteceu e alguns dos meus favoritos até agora.

Gosto muito de participar de outros grupos de blogueiras, é uma ótima oportunidade de conhecer outros blogs, se inspirar e coisas do tipo. Então me deparei com um post indicando alguns doramas.

Mas o que é um dorama?

Para quem não sabe dorama é como se fosse uma novela asiática. Tem coreana, chinesa, japonesa, tailandesa e por aí vai. Mas eles surgiram primeiro no Japão e tembém são chamados de J-Drama ou Terebi.

Nunca dei muita atenção ou importância mas como sou muito curiosa e gostei da descrição, resolvi assistir. O primeiro que eu vi se chama “ O que aconteceu com a Secretária Kim” que é coreana e vou dizer que amei.

capa do dorama O que aconteceu com a secretaria Kim

E por que eu amei?! Porque é uma ótima oportunidade de conhecer uma outra cultura, principalmente envolvendo relacionamentos entre família ou entre casais mesmo.

Eles valorizam super a família (principalmente os mais pobres) enquanto que os mais ricos tendem a proteger sua família mas como forma de proteger seu dinheiro. Dinheiro para eles é importante sim e quanto mais melhor.

Mas tem duas coisas que me irritam demais nos doramas, 1) tudo acontece de forma muito lenta. As vezes eles levam 3, 4 episódios para resolver um pequeno mal entendido e sempre fazem uma tsunami de drama em torno disso. Tudo bem o nome do gênero é Drama mas também não precisa ser levado tão ao pé da letra.

2) As mulheres se humilham demais para os homens. Eu sei que tem muito a ver com a cultura e tals mas po, em pleno século 21 eu ainda tenho que ver as mulheres se arrastando e sendo humilhadas pelos homens?! Isso não me desce na garganta tem horas.

Existem diversos “gêneros” de doramas, temos os de romance que são os mais populares, em alguns como os coreanos (os K-dramas) tem a participação de Idols, o que causa ainda mais rebuliço entre as fãs, né?!

Também temos terror, suspense, policial, de época, comédia, fantasia, entre muitos outros. Afinal, uma coisa que bem sabemos é que a imaginação asiática vai muio, muito além do nosso alcance (só ver os mangás e animes).

E quais foram os meus doramas prediletos?

Quem me conhece sabe que eu sou a louca da ficção e fantasia. Mas confesso que dentro desse universo asiático, esses não me chamaram tanta a atenção mas tenho alguns bem interessantes.

Um amor de Bruxa

capa do dorama um amor de bruxa

Sinopse: Na movimentada Seul, três gerações de bruxas vivem abaixo do radar de todos ao seu redor. Kang Cho Hong (Yoon So Hee) dirige um restaurante com suas colegas bruxas, Maeng Ye Soon (Kim Young Ok) e Jo Aeng Doo (Go Soo Hee). Elas tentam manter um perfil discreto, mas a aparência jovem de Cho Hong atrai a atenção de um cara da vizinhança, Hwang Jae Wook (Lee Hongbin), que está constantemente tentando se aproximar dela. A vida tranquila de Cho Hong e suas colegas bruxas se torna complicada quando o proprietário de seu prédio, Ma Sung Tae (Hyun Woo), um dia aparece. Sung Tae quer enfrentar um incidente traumático que aconteceu com ele naquele prédio quando era um garotinho. Com Sung Tae bisbilhotando seus negócios regularmente, pode Cho Hong manter sua verdadeira identidade em segredo dele?

Foi muito engraçado de ver pois toda a trama é algo que você nunca pensaria. Uma bruxa com uma família bem doidinha tentando esconder seus poderes. As avós são as coisas mais doidas e fofas que vocês vão ver com toda certeza.

Mulher Forte, Do Bong Soon

capa do dorama mulher forte Do Bong Soon

Sinopse: Bong-soon ( Park Bo-young ) nasceu com força sobre-humana. Sua força é hereditária e passou somente para as mulheres em sua família. Seu sonho é criar um videogame com ela como personagem principal. Ela desesperadamente quer se tornar uma mulher elegante e elegante, que é o tipo ideal de sua paixão, em Guk-doo ( Ji Soo ), um policial. Graças à sua força, ela recebe o trabalho de um guarda-costas, para um rico herdeiro Ahn Min-hyuk ( Park Hyung-sik ), o CEO de uma empresa de jogos, a Ainsoft. Ao contrário de Guk-doo, Min-hyuk é um homem estranho que é brincalhão, um pouco estragado e não tem respeito pelas regras e não gosta dos policiais. Recebeu recentemente ameaças anônimas, blackmails, e até foi perseguido em uma ocasião.

Um dia, uma série de casos de sequestro em Dobong-dong, o distrito de Bong – logo moram, e ela está determinada a pegar o culpado depois que seu amigo foi alvo. Sob a ajuda e treinamento de Min-hyuk, ela consegue controlar sua força para usá-lo por boas causas. Min-hyuk e Bong – logo se encontram e seu relacionamento cresce em algo mais.

Eu curti demais esse. Apesar da lerdeza de certos acontecimentos, é muito legal de se ver e principalmente como o relacionamento vai sendo construído, é bem bonitinho de ver.

Rich Man, Poor Woman

capa do dorama rich man, poor woman

Sinopse: Remake do drama japonês ”Rich Man, Poor Woman”. Um romance ocorre entre um jovem empresário bem-sucedido no campo de TI e uma estudante universitária que começa a trabalhar para ele

Apesar de ficar com raiva do personagem principal por muito tempo (na verdade todos os personagens masculinos são bem irritantes), achei interessante eles colocarem ele com um problema onde ele não reconhece o rosto das pessoas e ela ter uma super memória. Todo o desenrolar é bem legal, você, com toda certeza, vai morrer de ódio dos coadjuvantes.

Todos esses eu assisti no Viki que é uma plataforma totalmente voltada para dramas asiáticos.

Agora, dona Netflix também tem uma certa seleção de alguns dramas, super recomendo 2: Jardim de Meteoros (simplesmente lindo) e Love 020 (eu me apaixonei real pelos personagens)

Pois é! Já assisti mais alguns outros mas fica para um próximo post.

Espero que tenham gostado!

Beijos e até o próximo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: